• Hamilton Moto Aventura

Linha Touring 2020 da Harley-Davidson ganha mais tecnologia

A Harley-Davidson apresentou a linha 2020 sem grandes novidades. Ainda assim, a marca adicionou mais tecnologia e conectividade para suas motocicletas da linha Touring – a de topo – destinada a viagens.


Batizado de Reflex Defensive Rider Systems (RDRS), nos Estados Unidos, o pacote de tecnologia é de série para os modelos da divisão CVO (Custom Vehicle Operation) e os preparados para a polícia. Além da elétrica Livewire. No restante da linha Touring ele é um opcional. O H-D Connect Service é de série para toda a linha e inclui um chip 4G para conectar a moto ao sistema de armazenamento em nuvem. A Harley-Davidson do Brasil não confirma a chegada da linha 2020 com esses itens.

O RDRS inclui cinco itens. Monitoramento de pressão dos pneus e assistente de partida em rampa. E mais freios ABS melhorados e combinados com função de curva, controles de tração e de deslizamento.


O sistema de freios combinados para uso em curva (C-ELB) aplica força nas duas rodas sempre que o manete ou o pedal de freio é pressionado. Ele leva em conta a inclinação da motocicleta para aplicar a pressão ideal sem tirar a moto da trajetória. Ele ainda pode desligar ou reduzir a função do sistema combinado em baixas velocidades. O (C-ABS), que é uma adição que faz o ABS também trabalhar conforme a inclinação da moto.


O controle de tração (C-TCS) previne que a roda traseira gire mais rápido que a dianteira em acelerações em linha reta ou em curvas. Ele tem dois modos: o normal, para piso seco e o chuva, para piso molhado. Ele também pode ser desligado.



O controle de deslizamento limitado (DSCS) foi projetado para reduzir o travamento da roda traseira em reduções de marchas e desacelerações. Em outras motos ou marcas é chamado de controle de freio motor, pois atua nesse sistema para reduzir a força do torque.


Já o assistente de partida em rampa (VHC) segura o freio depois de aplicado. Ele evita que a moto entre em movimento voltando para trás em uma subida. Ele se mantém acionado até que o acelerado seja aberto e a embreagem liberada, o que significa que o piloto deseja arrancar. Em piso plano, ele também pode atuar quando a motocicleta está parada, para que não seja preciso ficar acionando o pedal ou manete.


O leitor de pressão nos pneus mostra na central multimídia qual a pressão atual e um alerta caso a pressão esteja abaixo do ideal, indicando uma necessidade de conferência dos pneus. Todos esses sistemas funcionam também para o Trike (triciclo) que volta à linha 2020, porém, ao invés de ler a inclinação da moto lê a aceleração lateral para que os sistemas funcionem.

Fonte: Estadão - Jornal do Carro


1 visualização
Há 10 anos fazendo a diferença
aumente o som
Participe AO VIVO do nosso programa na TV DIGITAL STUDIO "S"  fazendo perguntas para nosso entrevistado através das plataformas digitais Facebook, Instagram, Youtube e aqui no nosso portal,
siga nas redes sociais
  • Branca Ícone Instagram
  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon